Fórum Nacional de Reforma Urbana lança jogo de tabuleiro que ensina sobre Direito à Cidade

O Fórum Nacional de Reforma Urbana (FNRU) lançou nesta segunda-feira (24) o jogo de tabuleiro “Jogo da Vida Real”, que ensina às pessoas sobre o direito à cidade de maneira lúdica e conectada a outros direitos humanos. O jogo segue o formato “imprima você mesmo”, já que todo o material está disponibilizado no site do FNRU e pode ser impresso em folha comum A4 para jogar.

O “Jogo da Vida Real” possui uma jogabilidade similar ao clássico “Banco Imobiliário”. Ao invés de acumular dinheiro e propriedades, porém, as pessoas devem alcançar direitos, como Moradia Digna e Saneamento Básico. O jogo termina quando todos os jogadores conquistam os cinco direitos disponíveis ou quando a primeira pessoa que conquistar esses direitos desistir. Nesse último caso, entretanto, deixará de ser direitos para se tornarem privilégios.



Educação pelo direito à cidade

A ideia é promover um ambiente educativo e de reflexão sobre como a luta pela garantia e acesso a direitos humanos, como o direito à cidade, é coletivo e não apenas uma questão individual.

O cenário onde o jogo se passa é uma cidade dividida em dois bairros, um com mais recursos e outro com menos, refletindo as desigualdades de oportunidades no contexto brasileiro.

Esse jogo de tabuleiro ensina aos jogadores diversos conceitos muito importantes para que todas as pessoas possam conhecer seus próprios direitos e, especialmente, entender que a cidade deveria ser de todas as pessoas. Quando os direitos não são universais, eles acabam se tornando privilégios. E isso é o oposto do que uma sociedade saudável deve buscar”

Karla Moroso, diretora do CDES Direitos Humanos e integrante da coordenação do Fórum Nacional de Reforma Urbana.



Pessoas Constroem Cidades, Cidades Constroem Pessoas

A campanha “Pessoas Constroem Cidades, Cidades Constroem Pessoas” foi realizada no Instagram do FNRU, com o objetivo de aumentar o engajamento da sociedade civil na luta pelo direito à cidade, especialmente de jovens e mulheres. Para isso, foram produzidos conteúdos diversos apresentando conceitos sobre o direito à cidade, também em parceria com influenciadores, e convidando os seguidores a discutirem sobre temas como acessibilidade para pessoas com deficiência, saneamento básico e educação e segurança pública no contexto do espaço urbano. 


Compartilhar: